Aprovação da PEC 32 pela Comissão Especial da Câmara Federal faz oposição intensificar a pressão para que deputados votem contra a proposta em plenário

28 parlamentares votaram favoráveis e 18 contrários a PEC do desmonte dos serviços públicos A ADUFRGS-Sindical reforça a mobilização contra a PEC 32/2020 da Reforma Administrativa, que foi aprovada na quinta-feira, 23, pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados. O texto-base do novo relatório apresentado pelo relator, deputado Arthur Maia (DEM-BA), recebeu 28 votos favoráveis e 18 contrários. Partidos de oposição, servidores e centrais sindicais apostam na rejeição da PEC 32 no plenário. Nova votação está prevista para terça-feira, 28.

Nas eleições de 2022, é importante que a população se lembre dos políticos que votaram contra os direitos dos trabalhadores/as e acabaram com os direitos sociais. Quatro deputados do Rio Grande do Sul, que são titulares da comissão, votaram a favor da PEC 32, Alceu Moreira (MDB), Giovani Cherini (PL), Marcel Van Hattem (Novo) e Marcelo Moraes (PTB). A estratégia é pressioná-los a mudar seu voto, pois político que vota a favor da Reforma Administrativa não volta!

Ainda estão sendo votadas as emendas de destaques dos parlamentes.

A expectativa é virar o voto no plenário contra a PEC 32

Na votação da Comissão Especial da Câmara Federal, o governo chegou a mudar representantes para garantir a aprovação da PEC 32. Agora a situação é diferente. Enquanto na comissão eram necessários apenas metade dos votos, no plenário o governo precisará de três quintos dos deputados – 308 votos.

Caso seja aprovada no plenário, em dois turnos, com três quintos dos votos, a PEC 32 ainda terá que tramitar no Senado.

ADUFRGS-Sindical intensifica mobilização contra a Reforma Administrativa

O diretor de Assuntos Sindicais da ADUFRGS-Sindical, Jairo Bolter, avaliou o resultado da votação de ontem na Câmara Federal. “Graças às mobilizações sociais e sindicais que ocorreram em Brasília, o governo foi derrotado na votação e precisou se movimentar e fazer modificações significativas na Comissão Especial para conseguir aprovar o relatório. Se mantivesse a Comissão anterior, o relatório não seria aprovado”, considerou.

“O que aconteceu na Comissão mostra que o governo vai ser derrotado em novo plenário da Câmara Federal. Se o governo conseguir 308 votos será com a compra de votos dos deputados. Nós vamos denunciar essa manobra, porque acreditamos na idoneidade dos parlamentares progressistas que não devem compactuar com a destruição dos serviços públicos”, observou. “Vamos derrotar essa proposta do governo Bolsonaro e de seu ministro da Economia, Paulo Guedes, que é a mesma de outros que se apresentam como opção para 2022. O que nos faz mal hoje não é apenas o Bolsonaro, mas o projeto neoliberal de Paulo Guedes, que tenta barrar o avanço do País. Trata-se de um projeto neoliberal de destruição do Estado, que precisa ser derrotado no plenário e pelo povo brasileiro em 2022”, alertou. “Vamos continuar mobilizados lutando em Brasília e nas redes sociais em defesa da educação, saúde e segurança pública e contra a Reforma Administrativa, que vai destruir os serviços públicos se for aprovada”, reforçou.

A ADUFRGS-Sindical está organizando um pelotão da Educação e Ciênci, em conjunto com o CPERS e o SINPRORS, para as manifestações de 2 de outubro pelo Fora Bolsonaro.

Como votaram todos os deputados na Comissão Especial

Votaram sim (28)

Alceu Moreira (MDB-RS)

Giovani Cherini (PL-RS)

Marcel van Hattem (NOVO-RS)

Marcelo Moraes (PTB-RS)

Carlos Jordy (PSL-RJ)

Coronel Tadeu (PSL-SP)

Luiz Lima (PSL-RJ)

Arthur O. Maia (DEM-BA)

Kim Kataguiri (DEM-SP)

Mauro Lopes (MDB-MG)

Bosco Costa (PL-SE)

Paulo Ganime (NOVO-RJ)

Fernando Monteiro (PP-PE)

Ricardo Barros (PP-PR)

Darci de Matos (PSD-SC)

Misael Varella (PSD-MG)

Stephanes Junior (PSD-PR)

Aroldo Martins (REP-PR)

Henrique Paraíso (REP-SP)

Roberto Alves (REPUBLICANOS-SP)

Lucas Gonzalez (NOVO-MG)

Samuel Moreira (PSDB-SP)

EuclydesPettersen (PSC-MG)

Alex Manente (CIDADANIA-SP)

Gastão Vieira (PROS-MA)

Tiago Mitraud (NOVO-MG)

Evair de Melo (PP-ES)

Sergio Souza (MDB-PR)

Votaram não (18)

Márcio Labre (PSL-RJ)

André Figueiredo (PDT-CE)

Wolney Queiroz (PDT-PE)

Sebastião Oliveira (AVANTE-PE)

Alcides Rodrigues (PATRIOTA-GO)

Alice Portugal (PCdoB-BA)

Léo Moraes (PODE-RO)

Israel Batista (PV-DF)

Paulo Pereira (SDD-SP)

Alencar S. Braga (PT-SP)

Leo de Brito (PT-AC)

Rogério Correia (PT-MG)

Rui Falcão (PT-SP)

Camilo Capiberibe (PSB-AP)

Gervásio Maia (PSB-PB)

Milton Coelho (PSB-PE)

Ivan Valente (PSOL-SP)

Joenia Wapichana (REDE-RR)

Fonte: CUT-RS com CNTE e Sintrajufe-RS

 

Comments powered by CComment

No thoughts on “Aprovação da PEC 32 pela Comissão Especial da Câmara Federal faz oposição intensificar a pressão para que deputados votem contra a proposta em plenário”