ADUFRGS inicía série de webinário comemorativos

ADUFRGS INICIA A SÉRIE DE WEBINÁRIOS COMEMORATIVOS AO CENTENÁRIO DE PAULO FREIRE (1921 – 2021)
Obras do educador foram referência à reflexão sobre o contexto atual da pandemia

 

Na noite da última terça-feira, 22, a ADUFRGS-Sindical iniciou programação em celebração ao Centenário do educador Paulo Freire (1921-2021), proposta pelo GT Educação do sindicato, coordenado pela professora e diretora de comunicação, Sônia Mara Ogiba. A série de Webinários comemorativos ao centenário trouxe como primeiro episódio o tema “Do Medo à Ousadia: Diálogo enquanto estratégia de luta e resistência em tempo de pandemia”. A live transmitida ao vivo pelo Youtube e Facebook contou com os palestrantes a professora Juliana Goelzer, da Universidade Federal de Santa Maria, Grupo DIALOGUS, e o professor Jaime Zitkoski, da Faculdade de Educação da UFRGS. O debate foi mediado pela professora Liliane Madruga Prestes, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRS), campus Porto Alegre.

O presidente da ADUFRGS-Sindical, Lucio Vieira, abriu a programação, fazendo uma referência sobre a contribuição de Paulo Feire à educação brasileira. “Esta série de atividades comemorativas reúne pesquisadores da educação para resgatar os ensinamentos de Paulo Freire, um dos maiores educadores do mundo”, salientou. “As obras dele nos ajudam a reafirmar alguns princípios essenciais de educação, política e humanização necessários para vivenciarmos a atual conjuntura nacional”, refletiu.

A coordenadora do GT Educação, a professora Sônia Mara Ogiba, apresentou o lançamento da série de Webinários Comemorativos ao Centenário de Paulo Freire, que acontece até setembro deste ano, quando o educador completa 100 anos de nascimento. “O título deste primeiro webinário foi intensamente debatido e pensado pelo GT Educação e baseia-se na obra Medo e Ousadia – cotidiano do professor, na qual Freire dialoga com Ira Shor, pedagogo norte-americano, trazendo temas da maior significação”, destacou.

Sônia contextualizou o subtítulo do webinário O diálogo como estratégia de luta e resistência em tempo de pandemia. “O GT entendeu que colocar esse subtítulo remetia a um compromisso de trazer para dentro do sindicato, para suas lutas, a importância política e pedagógica destas significações que estão na palavra luta e resistência”, referiu. “É motivo de muita alegria começar pelo tema desta obra, mas certamente os nossos queridos convidados, professor Jaime Zitkoski e professora Juliana Goelzer irão sair dos limites desta obra e penetrar no pensamento de Paulo Freire, tanto do ponto de vista dos fundamentos deste pensamento emancipatório e crítico como também adentrar no cotidiano da escola que é exatamente o subtítulo desta obra, o cotidiano do professor”, ressaltou.

A coordenadora do GT Educação destacou, ainda, suas impressões sobre a live. “Vamos ter uma noite de muito calor, muito amor pela educação porque era assim que Paulo Freire refletia, sempre com muito afeto. Ele possuia uma atitude ética incomparável, emancipadora e humanizante, que transborda em todo o seu pensamento e nesta obra isso aparece claramente”, expressou.

A professora Sônia fez um agradecimento especial ao GT Educação e informou que a programação ficará disponível no novo canal da ADUFRGS especificamente para a programação sobre o Centenário do Paulo Freire e que no site do sindicato terá uma Aba chamada “Centenário Paulo Freire”, com postagens sobre a obra do educador e outras atividades, como entrevistas e podcasts”.

Sônia, encerrou sua fala agradecendo aos palestrantes e a mediadora da live, desejando uma boa noite a todos e todas, com a certeza de que “será uma noite de bastante diálogo, encantamento e de esperança, foi isto que Paulo Freire nos deixou como herança na educação”, concluiu.

Palestrantes destacam a importância dos ensinamentos de Paulo Freire nos dias atuais

A mediadora Liliane Prestes considerou que o webinário é relevante para pensar a educação no atual momento. Ela cita a obra de Freire Pedagogia do Oprimido para comentar sobre a banalização da violência e da morte no Brasil. “Hoje temos mais de 500 mil mortes no País por Covid-19 e milhares de famílias destroçadas com essas perdas”, ponderou. “As redes sociais nos ajudam durante a pandemia, mas por outro lado, destilam ódio. Enquanto sociedade, somos convocados a pensar na valorização da vida humana e esse legado está em Paulo Freire”, reforçou.

O professor e palestrante Jaime Zitkoski utilizou as obras de Paulo Freire para contextualizar o atual cenário brasileiro. “Vivemos uma crise brasileira que se agravou com pandemia e a iminência do risco de adoecimento e morte. A lógica capitalista produz desigualdades sociais e exclusão”, avaliou. “Frente às rupturas políticas e econômicas temos a cultura da banalização, da violência e do ódio. É comum vivenciarmos fatos negativos frequentemente e isso nos causa medo e insegurança”, observou.

Jaime ressaltou que a pandemia também atinge questões sociais e ambientais, pois segundo ele, destrói a vida de todas as espécies. O professor citou ainda a obra freiriana Pedagogia da Autonomia, que expressa a revitalização do valor da vida. “Atualmente grande parte da população brasileira acha normal o número constante de mortes, o sofrimento e a maldade da violência”, analisou. “A sociedade tem medo do futuro por desamparo, insegurança e exclusão social. Somos vítimas dessa política excludente.”

O palestrante enfatiza que o diálogo é a essência da educação e da existência humana. “Temos a necessidade de humanização. Os oprimidos sofrem pela falta de diálogo. De acordo com Paulo Freire na obra Pedagogia do Oprimido, os outros é que me constituem como pessoa humana”, contextualizou.

Para enfrentar o momento político no País, Jaime cita o livro de Freire Pedagogia da Esperança, que cita a importância dos movimentos sociais e suas estratégias de luta. “É preciso reinventar as estratégias de luta da sociedade civil. A construção de canais de comunicação dialógica e a resistência do trabalho coletivo são uma forma de enfrentamento à crise da pandemia”, frisou.

A professora e palestrante Juliana Goelzer, que integra o Grupo de Pesquisa Dialogus: educação, formação e humanização com Paulo Freire da Universidade Federal de Santa Maria, falou sobre a sua experiência na vice-direção da Unidade de Educação Infantil Ipê Amarelo durante a pandemia. “Tivemos medo da doença, da nova forma de educação, de garantir o cuidado com as crianças, de não perder o vínculo com as famílias”, explicou. “Segundo Paulo Freire, o medo é algo natural. Podemos assumir os nossos medos, mas não paralisar e sim colocar limites”, comentou.

Juliana defendeu que a organização de novos canais de comunicação deve passar por um processo de escuta e diálogo. “Neste momento de pandemia, nossa equipe dialogou com as famílias dos alunos identificando suas necessidades”, disse. “Segundo Paulo Freire, o diálogo é uma forma de criação e recriação, que sela o ato de aprender e isso é um processo de autotransformação para os professores”, refletiu.

Juliana falou sobre o planejamento com as crianças. “Fazemos nosso plano conforme o universo que as crianças trazem para a escola. O canal de comunicação entre os professores foi fundamental para nos fortalecer. Tivemos que nos reinventar no contexto da vida das crianças durante a pandemia e apostamos na autotransformação e no autoconhecimento”, finalizou.

Veja alguns comentários do chat durante a Live

Fernanda Puntel Rutsatz – ​Ira Shor e Paulo Freire, dois pedagogos essenciais em nossa prática pedagógica!!

Ivani Soares

​Muito bom ouvir sobre um tema tão atual e relevante! Parabéns às/aos palestrantes!

Dinorá Moraes

​Parabéns , Sônia! Parabéns ao GT Educação da Adufrgs!

Sonia Mara Moreira Ogiba

​Que destaque importante professor Jaime!! Uma coisa é comunicar e outra bem distinta é dialogar, que implica os sujeitos nesse circuito!!

Simone Fogazzi

​A pedagogia da esperança é a pedagogia da luta política… que exige a ação para “esperançar”. É a esperança em movimento!

Sônia Mara Moreira Ogiba

​Excelente essa associação entre reformas e mudanças estruturais, muito obrigada Jaime!!

Sônia Mara Moreira Ogiba

​Isto professora Juliana precisamos retomar a potência do Medo que conduz à Ousadia e a coragem para enfrentar as lutas pela emancipação humana!!

Vanderlei Carraro

​Parabéns Adufrgs pela iniciativa

Ivani Soares

​Que riqueza ouvir uma professora com essa humanidade, amorosidade e rigorosidade.. fazer ensino assim é uma grande ousadia!

Lucio Olimpio de Carvalho Vieira

​Parabéns aos palestrantes. Excelentes exposições.

Sônia Mara Moreira Ogiba

​Liliane, muito agradecida pela importante contribuição que destes na mediação da live. Aos professores Jaime e Juliana, nosso muito obrigada pela participação na inauguração do Centenário de Paulo Freire na Adufrgs.

Assista a live no novo Canal

Assista a live no Canal Centenário de Paulo Freire na ADUFRGS- Sindical, que traz informações, atividades e vídeos alusivos à trajetória do educador. Inscreva-se no novo Canal e acompanhe as próximas lives ao vivo.

YouTube Centenário Paulo Freire na ADUFRGS-Sindical.

YouTube ADUFRGS, Facebook ADUFRGS.

Comments powered by CComment

No thoughts on “ADUFRGS inicía série de webinário comemorativos”