Previous Next

Projeto CUT com a Comunidade doa 60 toneladas de alimentos em 2022

Construído ao longo da pandemia, o projeto tem a parceria da ADUFRGS-Sindical, Sinpro-RS, SindBancários de Porto Alegre, Sindisaúde-RS, Sinttel-RS, Fetrafi-RS, Stimepa, Semapi-RS, Sindiserf-RS, SindBancários do Vale do Paranhana e Sindipolo. Também são parceiros o MST, o Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito, o movimento Fome tem Pressa e várias associações de moradores. 

O projeto CUT com a Comunidade, organizado pela CUT-RS com a parceria de sindicatos e o apoio da Cresol, doou 60 toneladas de alimentos para famílias vulneráveis em 2022. Também firmou parceria com mais de dez cozinhas comunitárias que distribuem semanalmente marmitas para os moradores como forma de arrefecer a fome.

Cada cozinha entrega uma média de 150 marmitas. Elas estão localizadas em vários bairros da capital gaúcha, como Lomba do Pinheiro, Farrapos, Cristal, Cruzeiro, Pedreira, Timbaúva, Sarandi, Bom Jesus, Partenon, Restinga, Chapéu do Sol, Glória, Vila Mapa e Morro da Cruz. Além disso, as comunidades assistidas receberam cestas básicas e outras doações.

Construído ao longo da pandemia, o projeto tem a parceria da ADUFRGS-Sindical, Sinpro-RS, SindBancários de Porto Alegre, Sindisaúde-RS, Sinttel-RS, Fetrafi-RS, Stimepa, Semapi-RS, Sindiserf-RS, SindBancários do Vale do Paranhana e Sindipolo. Também são parceiros o MST, o Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito, o movimento Fome tem Pressa e várias associações de moradores. 

A iniciativa é guiada por um tripé: a luta por direitos da classe trabalhadora, a solidariedade através das doações de alimentos e a comunicação para fazer o debate sobre como funciona a sociedade e por que temos essas desigualdades.

“Apesar de todas as dificuldades que o movimento sindical enfrentou no ano de 2022, nós trabalhamos e distribuímos mais de três mil cestas básicas, atendemos entre 10 e 12 cozinhas comunitárias e contribuímos com 14 comunidades nas atividades do Natal Solidário. Também houve doações na festa de Dia das Crianças, em outubro, e no período da Páscoa”, destaca o secretário de Administração e Finanças da CUT-RS, Antônio Güntzel.

O dirigente sindical ressalta o papel das entidades sindicais. “Realizamos isso tudo graças ao esforço dos sindicatos e da CUT, envolvendo direção e funcionários. O projeto CUT com a Comunidade é uma oportunidade ímpar do movimento sindical se integrar junto aos excluídos da sociedade e tratar de temas relevantes”, pontua.

Na avaliação do presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, 2022 foi “mais um ano duro, mas com um balanço muito positivo, de muita parceria e muita solidariedade”.

Segundo ele, “temos essa frente de atuação com as cozinhas, com galpões de reciclagem, com associações de moradores e nos orgulha muito que nessa caminhada, além dessa presença das lideranças comunitárias, temos encontrado muitas parcerias de sindicatos, federações e pessoas físicas que se colocaram à disposição e ajudam na tarefa de juntar os recursos necessários para que a gente continue desenvolvendo esse projeto”.

No último dia 10, houve uma reunião de planejamento para 2023 com as lideranças do projeto. Amarildo frisou que o desejo é agregar novas questões, além da comunidade. “Nessa caminhada queremos incluir a cultura, a educação, a formalização de cooperativas de trabalho e de economia solidária, e qualificação de profissionais. São experiências para que a gente possa agregar, qualificar e fortalecer o povo que precisa tanto que o Brasil esteja voltado para os seus interesses e as suas necessidades”, explica.

Natal Solidário

Ao longo deste mês de dezembro, a CUT-RS reforçou doações para a realização de festas de Natal para crianças em 14 comunidades em situação de vulnerabilidade social. Além disso, 100 cestas foram distribuídas na última sexta-feira (16) para famílias carentes como ação solidária de encerramento do ano.

No sábado (17) e no domingo (18) ocorreram festas nas comunidades Vila Farrapos, Mário Quintana, Morro da Cruz, Restinga, Chapéu do Sol e Glória. No bairro Mário Quintana, a festa aconteceu no Galpão de Reciclagem Força e Coragem e foi organizada pela Dona Lúcia, liderança da região.

“A parceria com a CUT sempre foi uma boa parceria. Não somos parceiros de poucos anos, já somos parceiros de muitos anos. E a CUT para nós sempre foi importante. Depois que a CUT começou a apoiar as cozinhas comunitárias, ficou mais importante porque conseguimos eliminar um pouco da fome do povo. Temos que agradecer por ter nos dado essa oportunidade de realizar o Natal das Crianças, o alimento para o povo e proporcionar muitas coisas boas para a comunidade”, declarou Lúcia.

O secretário de Organização e Política Sindical da CUT-RS, Claudir Nespolo, acompanhou a festa da comunidade Mário Quintana. “O que mais eleva a condição humana é a solidariedade e a cooperação. Na humildade da vida aqui na comunidade, que é também um Comitê Popular de Lutas, mas que também sabe se integrar, fazer uma confraternização e isso ajuda a agregar valor”, disse.

O dirigente também destacou a importância da festa para os pequenos. “Essas crianças que seguramente não terão um presente no final do ano, aqui nessa comunidade estão saindo de uma festa onde comeram bolo, cachorro quente e também conseguiram um presente. Esse presente não caiu do céu, essa festa não caiu do céu. Ela foi resultante da solidariedade de muitas organizações. Temos um orgulho imenso de apoiar o trabalho da Dona Lúcia, porque não é o trabalho da Dona Lúcia, é o trabalho daquela militante raiz que não mede esforços de fazer o bem sem interessar a quem”, disse.

Mobilizar e organizar as lideranças

Na Vila Farrapos, houve a segunda edição da festa de Natal que atendeu mais de 1.500 crianças e aconteceu na Praça do Sesi, um local que está abandonado pelo poder público e que é uma reivindicação dos moradores, para que tenha mais políticas de revitalização. Brunno Mattos, liderança da comunidade, destacou o papel do projeto para as periferias.

“A CUT teve um papel protagonista que colocou cada liderança para articular a comunidade, apontar as suas demandas e, a partir disso, construir um projeto para cada território. Sabemos que 2023 vai ser de muita luta e construção porque o governo popular que ganhou as eleições só se manterá no poder com muita força e organização da base nos territórios. Por isso, essas ações são extremamente importantes, para que a gente possa desenvolver os locais e a consciência de classe na população”, manifestou.

Outra liderança da região é Lidiane Alves que conta que as doações fizeram a diferença durante 2022. “Quero agradecer à CUT por estar nos apoiando nesse ano de 2022. Foi muito boa a parceria, nos apoiando com as cestas e as doações para os moradores. Agradecemos de coração. Essas doações fizeram muita diferença para as famílias porque muitas estão desempregadas. Depois da pandemia muitos ficaram prejudicados, não conseguindo emprego”, contou.

Esperança de avanços em 2023

Maria Lúcia, coordenadora da Cooperativa de Trabalho dos Recicladores Ambiental Comunitário (COADESC) que atua na região da Farrapos, também elogiou o trabalho de conscientização. “A CUT tem nos ajudado muito, como a doação de alimentos. Também tem nos ajudado com orientação e o fato de estar sempre presente para discutir os nossos problemas e ajudando a solucionar. Está fazendo muito diferença nas nossas vidas”, expressou.

A liderança comunitária relembrou a ação de regularização dos títulos eleitorais. “Vários fatores foram importantes para nós em 2022. O principal é que as pessoas têm sido muito bem orientadas pela CUT. Nas eleições foi marcante o mutirão para a regularização dos títulos. Eles vieram aqui tirar dúvidas.”

Para Antônio, o resultado do projeto CUT com a Comunidade é extraordinário. “Fomos a São Paulo e vamos nos deslocar a Brasília, juntos nessa caminhada com esperança de que em 2023 as coisas possam evoluir na área do emprego, da educação, da saúde e do saneamento. Enfim, a esperança da distribuição de renda e de matar a fome do povo com emprego de qualidade. É isso que a gente espera. Essa parceria vai prosseguir”, concluiu.

 

Fotos: Carolina Lima / CUT-RS - Fonte: CUT-RS

 

Veja também

ADUFRGS-Sindical promove Natal Solidário 

 

 

Comments powered by CComment

No thoughts on “Projeto CUT com a Comunidade doa 60 toneladas de alimentos em 2022 ”