ADUFRGS defende a nomeação do primeiro da lista como Reitor da UFRGS

nota-adufrgs

A UFRGS é um órgão de Estado e não de governo. Há mais de 100 anos tem pautado sua história no ensino, pesquisa e extensão pela excelência acadêmica e não pode ter sua direção escolhida por interesses políticos de ocasião.

A eleição para Reitor na UFRGS seguiu todas as regras da Lei, que dá 70% de peso aos docentes, teve entre estes: Rui Oppermann 1454 votos, Karla Muller 679 votos e Carlos Bulhões 436 votos. No Conselho Universitário a votação foi 45, 28 e 3 votos, respectivamente.

A comunidade da UFRGS fez sua escolha e decidiu que o atual Reitor Rui Vicente Oppemann deve ter mais 4 anos de mandato, para dar continuidade ao bom trabalho que vem realizando no cargo de Reitor. Por mais que se respeite os demais candidatos, eles não foram os escolhidos e não possuem legitimidade para serem nomeados como Reitor.

A ADUFRGS, como entidade representativa dos docentes, entende que a vontade da Comunidade Acadêmica, que é técnica e optou pela manutenção dos processos didáticos e científicos que fazem da UFRGS a melhor Universidade Federal do Brasil, nos últimos 8 anos, seja respeitada. Não aceitamos que ingerências políticas externas possam abalar a tranquilidade interna. A UFRGS quer paz interna!

Pela nomeação do primeiro colocado na eleição e na lista como Reitor da UFRGS.

Diretoria da ADUFRGS-Sindical



Ver todos