ADUFRGS-Sindical reforça pressão do PROIFES em Brasília contra a PEC 32 e em defesa dos serviços públicos

Mobilização do PROIFES e sindicatos em Brasília

Mobilização do PROIFES e sindicatos em Brasília

Na terça-feira, 14, o PROIFES-Federação realizou em Brasília uma série de ações de mobilização contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32 de 2020, a Reforma Administrativa, que está sendo discutida em Comissão Especial da Câmara dos Deputados. A ADUFRGS-Sindical reforça a necessidade dos associados e associadas se engajarem nessa campanha contra a aprovação da PEC, que abre caminho para a privatização de serviços públicos, corrupção e ameaça aos servidores e servidoras, com o fim da estabilidade e outras repercussões negativas na carreira.

Os representantes do PROIFES-Federação recepcionaram deputados e deputadas no Aeroporto Internacional de Brasília, chamando a atenção dos parlamentares para os prejuízos da proposta para toda a população.

À tarde houve caminhada pela Esplanada dos Ministérios até o Anexo 2 da Câmara dos Deputados, com bandeiras, faixas e cartazes em defesa dos direitos dos servidores e dos serviços oferecidos à população. 

O PROIFES-Federação lançou recentemente a campanha “Reforma Administrativa – Eu digo Não!”, que a ADUFRGS-Sindical compartilha nas suas redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter, e convida os associados/as a também compartilhar para fazer pressão contra a aprovação da PEC 32.

A diretora de direitos humanos do PROIFES, Rosângela Gonçalves de Oliveira, lembrou a importância dos servidores públicos durante a pandemia. “Nós servidores trabalhamos intensamente ao longo da pandemia. Estivemos presentes nas mais diversas áreas e não podemos arcar com esse retrocesso”, ressaltou Rosângela. 

Já o tesoureiro do PROIFES-Federação, Flávio Silva, lembrou que “ao contrário do que muitos pensam, a reforma do governo Bolsonaro não vai prejudicar apenas os servidores públicos. Quem depende de serviços em áreas básicas, como saúde, educação e segurança, por exemplo, também terá a vida afetada”.

A ADUFRGS-Sindical acompanha o tema da Reforma Administrativa com preocupação, já tendo denunciado a mercantilização e privatização dos serviços públicos.

Em agosto, durante o seminário estadual “Os impactos da PEC 32 nos serviços públicos municipais, estaduais e federal” , realizado na Assembleia Legislativa, no auditório Dante Barone, o presidente do Sindicato, Lúcio Vieira,  falou sobre o que representa essa reforma, que não pode ser aprovada.

“A Reforma Administrativa visa transformar o serviço público em serviço privado, de interesse privado. Acima de tudo, retira recursos da educação e da saúde. Transfere esses serviços em serviços de interesse do mercado, que visa lucro”, afirmou Vieira. Leia mais aqui.

Leia a matéria completa das ações desta terça, em Brasília, no site do PROIFES-Federação.
paulo-freire



Ver todos