ADUFRGS vai protocolar representação no MPF contra portaria que impede deslocamento de pesquisadores

Sindicato pede aos associados que enviem exemplos de prejuízos causados pela medida

Nesta quarta-feira, 5 de fevereiro, a diretoria da ADUFRGS e a assessoria jurídica do sindicato foram ao Ministério Público Federal para tratar da Portaria 2.227/2019 e a MP 914, que modifica os procedimentos para afastamento da sede e do país e concessão de diárias e passagens em viagens nacionais e internacionais, a serviço, no âmbito do Ministério da Educação.

Estiveram presentes na reunião com o procurador do MPF, Enrico Rodrigues de Freitas, Lúcio Vieira (presidente da ADUFRGS), Sônia Mara Ogiba (diretora de Comunicação), César Bastos de Mattos Vieira (diretor de Assuntos do Magistério Superior), Eduardo Rolim (Tesoureiro) e o advogado Francis Bordas (assessoria jurídica da ADUFRS).

A reunião é uma sequência de movimentos que a ADUFRGS tem feito, como a conversa com a reitoria da UFRGS, para barrar os efeitos da medida publicada pelo MEC em 31 de dezembro de 2019. A ADUFRGS é contrária à restrição dos deslocamentos dos pesquisadores porque afeta diretamente a produção científica no país.

Na reunião com o MPF, a diretoria também tratou da MP 914, que dispõe sobre a escolha de reitores das instituições federais de ensino (universidades, institutos federais e o Colégio Pedro II).



Ver todos