Precisamos articular todas as frentes comprometidas com a democracia nesse país, diz Lúcio Vieira

Lucio boa (2)

Presidente da ADUFRGS defendeu educação pública

“De volta para o Future-se” foi o tema da palestra promovida pelos alunos do programa de extensão tutorial do curso de Educação Física da UFRGS, na manhã desta quinta-feira, 5, na ESEFID.

O presidente da ADUFRGS-Sindical, Lúcio Vieira, foi um dos convidados da atividade e criticou a forma como o governo tem tratado a educação nesses 9 meses de gestão. “Primeiro, o MEC faz uma política forte de descredenciamento da universidade, ataca docentes e alunos, depois joga com os cortes de 30% e apresenta o programa Future-se. Isso não resolve os problemas”, porque o Future-se não é um projeto para a Educação, ele serve aos interesses do mercado. Para Lúcio, o momento pede a defesa do papel da educação pública. “A educação é um bem público e um direito, por isso, precisamos articular todas as frentes comprometidas com a democracia nesse país”.
O tesoureiro da ADUFRGS, Eduardo Rolim, também participou do debate questionando vários pontos do projeto. O que estamos analisando, disse, é uma proposta apresentada sem nenhum debate, “é uma irresponsabilidade o MEC apresentar isso e dizer que é uma consulta pública, não podemos legitimar esse tipo de ideia.”

Ele criticou, por exemplo, o fundo patrimonial e alertou que aderir ao projeto significa abrir mão da autonomia universitária. “A universidade não é uma opção de governo ela é de Estado, é do povo e, por isso, precisa ter autonomia”.



Ver todos